Menu


VITÓRIA 87FM

Brigadista fica ferido ao cair no fogo enquanto ajudava no combate ao incêndio na Chapada dos Veadeiros

13 SET 2021
13 de Setembro de 2021
Voluntário foi socorrido e passa bem. Militares, funcionários do ICMBio e brigadistas voluntários, além de aviões, tentam controlar o fogo.
Um brigadista voluntário ficou ferido ao cair no fogo enquanto ajudava no combate ao incêndio da Chapada dos Veadeiros, no norte de Goiás. O homem faz parte da brigada de São Jorge e teve queimaduras de primeiro grau nas pernas, conforme informou o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

O acidente aconteceu no domingo (12). De acordo com o chefe do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Luís Henrique Mota de Freitas Neves, o brigadista escorregou de uma ribanceira e caiu dentro do fogo. Ele foi atendido em um hospital e liberado em seguida para seguir tratamento em casa.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, até o início da tarde desta segunda-feira (13), o fogo já havia consumido aproximadamente 6 mil hectares do parque. No entanto, o ICMBio afirma que fez um levantamento georreferenciado que aponta 2,04 hectares consumidos pelo incêndio.

As chamas começaram no dia anterior, no Vale da Lua, um ponto turístico da região, e se espalharam rapidamente, atingindo a Serra do Segredo, a cerca de 20 km de distância. Cerca de 60 pessoas, entre bombeiros, servidores do ICMBio e brigadistas voluntários que moram na região, além de três aeronaves, trabalham para combater as chamas.

A Polícia Civil disse que será instaurado uma investigação preliminar sobre esse incêndio. As causas oficiais ainda são desconhecidas.


O incêndio começou no domingo, no Vale da Lua, em Alto Paraíso de Goiás. Cerca de 100 turistas que estavam no local ficaram isolados na área devido ao fogo. Eles tiveram que esperar cerca de 1h30 para serem resgatados.

“Foi muito rápido. Estava ventando, a vegetação seca e foi quando começou. A gente conseguiu reunir o pessoal em cima da pedra, que era mais seguro, para esperar o pessoal do bombeiro”, disse Santiago Teles da Silva, socorrista do Vale da Lua.


O advogado Walmir Cunha estava no local e relata que, em certos momentos, o sentimento era de preocupação. “Teve um momento em que houve um pouco de pânico, pois tínhamos que passar em uma ponte, em fila indiana, e as pessoas começaram a se empurrar para sair. Fiquei um pouco assustado nessa hora”, disse.

O auxiliar contábil Hendrk Teixeira de Oliveira conta que ficou levemente ferido. "Idoso passou mal, criança também. A gente teve que correr na hora de voltar. Quem tava sem camisa deu uma queimada nas costas. Queimei pouquinho. Chegando aqui a gente viu a emoção por ter chegado bem", disse.
Por Guilherme Rodrigues, G1 GO
Voltar


Tenha também o seu site. É grátis!