Menu


VITÓRIA 87FM

Polícia Civil decide que agente suspeito de matar torcedor do Goiás seguirá no trabalho...

06 NOV 2019
06 de Novembro de 2019
Em nota, órgão diz que afastamento não tem 'amparo legal'. Gabriel Chaves chegou a ser preso, mas foi solto em audiência de custódia. Vítima, Helênio Cardoso Filho foi baleado no peito após jogo de seu time contra o Flamengo.A Delegacia-Geral da Policia Civil informou nesta quarta-feira (6) que o agente Gabriel Tortura Chaves, suspeito de matar um torcedor do Goiás após o jogo contra o Flamengo, seguirá trabalhando na corporação. Segundo o órgão, o afastamento dele, no momento, não tem "amparo legal".

Helênio Rodrigues Cardoso Filho, de 30 anos, foi alvejado com um tiro no peito, logo após a partida, no dia 31 de outubro, em Goiânia. Segundo o registro de ocorrência, o crime aconteceu após uma discussão entre torcedores dos dois times.

Em nota, a assessoria da Polícia Civil informou "a permanência no exercício funcional" do agente, que chegou a ser preso, mas foi solto durante audiência de custódia. A situação dele no trabalho estava sendo discutida pela direção da polícia.


O comunicado pontua ainda que Gabriel responde ao inquérito policial e a sindicância disciplinar, mas alerta que "o fato ocorreu fora de serviço, em circunscrição diversa de sua lotação e não há registro de antecedentes criminais ou disciplinares em seu desfavor".

Torcedor do Goiás, Helenio Rodrigues Cardoso Filho morreu após ser baleado em jogo contra o Flamengo — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Por fim, a corporação destacou que a decisão "guarda ainda consonância com a decisão judicial que concedeu ao policial liberdade provisória".

Gabriel que trabalha em Itaberaí, entrou na polícia em 2017. A arma dele foi apreendida e será periciada.

Família da vítima indignada
Familiares estão indignados com o crime e com a decisão da Justiça de soltar o policial. “A família experimenta uma mescla de dor, indignação, de impotência. A resposta da Justiça veio em razão dos poucos elementos que eles ainda têm”, disse Eduardo Amaral Antunes, primo de Helênio.


“Era uma pessoa muito boa, muito querida por todos. Até agora não acredito que ele faleceu”, disse Ivanildes Rodrigues de Lima, tia da vítima.
Por Sílvio Túlio, G1 GO.....
Voltar


Tenha também o seu site. É grátis!