Menu


VITÓRIA 87FM

Técnico baleado por guarda civil enquanto trabalhava diz que levantou as mãos antes de ser atingido...

09 FEV 2019
09 de Fevereiro de 2019
Mateus Batista Rodrigues, de 22 anos, disse que foi abordado por dois homens. Guarda disse à polícia que se assustou ao ver jovem em cima do muro.O técnico em refrigeração Mateus Batista Rodrigues, de 22 anos, baleado enquanto instalava um ar-condicionado em Goiânia, conta que trabalhava uniformizado em cima do telhado de uma casa quando foi abordado por dois homens. “Eu só escutei: ‘perdeu, perdeu’”, disse. Um guarda civil municipal se apresentou à Polícia Civil e disse ter efetuado o disparo.

O jovem foi baleado no tórax na quarta-feira (6). Ele passou por cirurgia e se recupera no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Em um vídeo, ele contou do que se lembra do momento em que foi abordado.

“Na hora que eu levantei a mão, olhando para um deles, o outro veio e me deu um tiro”, contou. Após ele ser baleado, desceu do telhado e correu para rua em busca de socorro. Ele disse ainda que foi ameaçado pelo atirador.

“A dona da casa que contratou o nosso serviço entrou na frente para ele não atirar de novo”, completou.

A mulher que contratou os serviços do jovem disse que o técnico em refrigeração pediu ajuda após ser baleado. “Do jeito que ele olhou para mim, me pedindo ajuda: ‘Dona, pelo amor de Deus, me ajuda. Eu tenho família. Não quero morrer não’. Ficou marcado. Foi muito difícil”, contou.

O guarda civil municipal Rodrigo Fernandes se apresentou à Polícia Civil na quinta-feira (7) e disse ter se assustado quando viu o jovem em cima do muro. Ele entregou a arma à corporação.

“Ele pensou que fosse um ladrão e atirou para afugentá-lo”, contou a delegada Simelli Lemes.

Em nota, a Prefeitura de Senador Canedo informou que o caso foi encaminhado para a Corregedoria da Guarda Municipal. Os servidores da corporação têm direito ao porte de arma para uso em serviço, mas o servidor não estava em horário de trabalho no momento do caso.

Já foi expedido um pedido de afastamento do servidor até a conclusão das investigações da Polícia Civil.
Por Vitor Santana, G1 GO......
Voltar


Tenha também o seu site. É grátis!