Menu


VITÓRIA 87FM

Mãe de menina morta a facadas em casa muda rotina por medo do ex-marido foragido...

03 DEZ 2018
03 de Dezembro de 2018
'Não durmo'
Crime em São Roque completa dois meses nesta segunda-feira (3). Assassinato ocorreu horas depois de Horácio Lucas, pai de Letícia Tanzi e principal suspeito, ter deixado a prisão.

A mãe de Letícia Tanzi, a jovem morta a facadas dentro de casa no dia 3 de outubro, convive há dois meses com medo do ex-companheiro suspeito de matar a filha, em São Roque (SP). Ele está foragido desde o dia do crime, quando saiu da cadeia onde cumpria pena por estupro.

Horácio Lazareno Lucas fugiu para uma mata, onde estaria até hoje, segundo a Polícia Civil. Já foram feitas buscas com helicóptero, equipes especializadas e cães farejadores. Mas o homem, que completa 29 anos nesta segunda-feira (3), não foi localizado.

"Minha vida está de ponta-cabeça, ninguém vive mais. Não durmo com medo dele [Horácio] vir e terminar o que começou", desabafa Tamires Tanzi, mãe de Letícia.
O homem foi preso em junho deste ano por um mandado expedido pela Justiça devido à condenação de oito anos por estupro contra a cunhada dele em 2010, que tem transtorno mental.

Na época, enquanto esteve na cadeia, a família descobriu que ele também havia abusado da filha em 2017.

Entenda porquê Horácio foi solto
Ao G1, o delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, informou que as buscas continuam e todas as denúncias estão sendo checadas pela investigação.

Com medo, a mãe de Letícia e o filho mais novo foram retirados da cidade por parentes. "Graças a Deus tenho encontrado pessoas que estão me ajudando muito. Mas o meu direito de ir e vir não tenho, pois tenho muito medo", conta Tamires.
O crime
A estudante Letícia Tanzi foi encontrada inconsciente e ferida na sala da chácara da família, no bairro Mailasque. Desde então, o pai, suspeito do crime, fugiu para a mata na região e ainda não foi localizado.

Horácio estava preso desde julho deste ano, quando passou a cumprir pena por estuprar a cunhada em 2010.

Letícia havia denunciado o pai pelo mesmo crime logo após a prisão dele. Em seguida, o suspeito teria ido até a chácara para convencer a família a retirar a denúncia de estupro.

A mãe da garota contou que, na noite do crime, o pai invadiu a casa da família. A intenção dele, segundo a mulher, era convencer a filha a retirar a denúncia sobre abuso sexual que teria sofrido. Quando a garota negou, ele ficou agressivo.

A primeira vítima atacada foi Tamires. O suspeito teria a agarrado pelo pescoço e depois dado um soco no rosto dela. A dona de casa conseguiu fugir e correu até os vizinhos para pedir socorro e chamar a polícia, deixando a adolescente e o filho de 6 anos na casa.

Neste momento, o homem teria atacado Letícia. Antes disso, trancou o filho mais novo em um quarto. A criança ouviu a agressão contra a irmã.

O garoto conseguiu sair do quarto e foi para a rua, onde encontrou a viatura e disse aos policiais que a irmã tinha sido morta pelo pai. A jovem chegou a ser levada para a Santa Casa da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

Letícia foi enterrada no dia 4 de outubro, no Cemitério Cambará, em São Roque. A o crime, policiais vasculharam uma área de mata da cidade, possível local por onde o suspeito fugiu, mas ele não foi encontrado.
Por Carlos Dias, G1 Sorocaba e Jundiaí
.....
Voltar


Tenha também o seu site. É grátis!