Menu


VITÓRIA 87FM

Ex-policial federal, pastor e deputado são suspeitos de intimidar testemunha de ação contra funcionários fantasmas...

08 NOV 2018
08 de Novembro de 2018
Segundo o MP, eles tentavam atrapalhar investigações da Operação Poltergeist, que apura contratação de servidores fantasmas na Assembleia Legislativa.O Ministério Público prendeu dois suspeitos de intimidarem uma testemunha da Operação Poltergeist, que combate funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa de Goiás. Os alvos são um ex-policial federal e um pastor evangélico. Uma busca e apreensão foi feita na casa do deputado estadual Daniel Messac, apontado como mandante das ameaças e chefe da organização criminosa.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Federal para saber mais informações sobre o ex-policial, Anderson Luís Coelho, mas a corporação respondeu apenas que não se trata de uma operação da PF em Goiás. A reportagem não conseguiu localizar a defesa dele.

A reportagem também procurou por telefone o deputado Daniel Messac, mas ele não foi localizado no gabinete. Funcionários informaram que não tinham nenhuma informação sobre o caso. O G1 também encaminhou um email para o gabinete às 10h20, mas não recebeu resposta até a última atualização dessa reportagem.

O G1 não conseguiu localizar a defesa do pastor Vano Sebastião Fernandes de Miranda.

Em nota, o Diretório do PTB em Goiás informou que, diante dos fatos, "Daniel Messac vai se desligar do partido" (leia a íntegra ao final do texto).

Segundo as investigações, o ex-policial e o pastor evangélico tentaram fazer com que uma testemunha mudasse o depoimento de forma a não envolver o deputado. Os dois foram, inclusive, filmados conversando com a testemunha no Fórum de Montes Claros de Goiás. A testemunha intimidada ainda vai prestar outros depoimentos sobre o caso.

Também são cumpridos três mandados de busca e apreensão na casa dos três alvos. Os presos serão ouvidos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e, na sequência, encaminhados à Casa de Prisão Provisória de Goiânia.

Operação Poltergeist
A Operação Poltergeist foi deflagrada pelo MP-GO em 1º de abril de 2014. A ação teve como objetivo desmontar um esquema de desvio de recursos públicos por meio da contratação de servidores fantasmas pelo poder público, mais especificamente em alguns gabinetes da Assembleia Legislativa do Estado e também na Câmara Municipal de Goiânia.

De acordo com a investigação, a organização criminosa era estruturada e seus membros possuíam tarefas específicas. Alguns dos suspeitos aceitavam ocupar cargos sem trabalhar e repassavam parte do salário para o grupo.

Outros envolvidos no esquema ficavam a cargo de alistar potenciais servidores fantasmas ou recolher o salário pago aos funcionários. Também participam da organização detentores de cargos com autoridade para contratar os comissionados.

Nota à imprensa
O deputado estadual Daniel Messac foi alvo de um mandado de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira (8) em ação conduzida pelo Grupo de Atuação Especial de combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MP-GO), que investiga um esquema de contratação de funcionários “fantasmas” na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) em 2014.

O Diretório do PTB em Goiás esclarece que o deputado estadual Daniel Messac:

1. Não era filiado ao PTB à época dos fatos que motivaram a operação;

2. Filiou-se ao PTB em abril de 2018 com o compromisso de se candidatar a deputado estadual, vindo a receber o fundo partidário para disputar as eleições

3. Renunciou à candidatura a deputado estadual no final de agosto para apoiar outro candidato

Em função dos fatos expostos, o Diretório do PTB em Goiás informa que Daniel Messac vai se desligar do partido.


Por Vitor Santana, G1 GO....
Voltar


Tenha também o seu site. É grátis!