Menu


VITÓRIA 87FM

Dona de casa é presa suspeita de tentar entrar em presídio com droga nas partes íntimas, em Catalão...

12 ABR 2018
12 de Abril de 2018
Mulher confessou o crime, segundo delegado, e falou que foi 'contratada' pela mulher de outro detento.u“Ela disse que está arrependida, até por ter três filhos”, contou o delegado Vagner Sanches Pedroso. A mulher não tem antecedentes criminais. A Polícia Civil não soube informar o nome da advogada dela.

O delegado disse ainda que já identificou e vai intimar a mulher que a “contratou” para prestar esclarecimentos. A detida foi encaminhada para o presídio da cidade e vai ser autuada por tráfico de drogas. Se condenada, pode pegar entre 5 e 15 anos de prisão.ma dona de casa de 30 anos foi presa na manhã desta quinta-feira (12) suspeita de tentar entrar no presídio de Catalão, na região sudoeste de Goiás, com 132 gramas de maconha escondidos nas partes íntimas. De acordo com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), ela apresentava nervosismo e acabou contando a respeito, após ser questionada por um agente durante revista pessoal.

O flagrante aconteceu por volta das 9h30, e a mulher – que não teve a identidade revelada – foi levada para a delegacia. Ela, que estava no local para visitar o companheiro, contou que tinha sido “contratada” Em 2018, mais de 50 pessoas foram presas tentando entrar com drogas, celulares, bebidas alcoólicas entre outros objetos proibidos em presídios de Goiás, segundo dados da DGAP. O diretor da Região Metropolitana da Administração Penitenciária, Leandro Ezequiel, disse ao G1 que os produtos mais apreendidos são celulares, drogas, chips de linhas telefônicas, carregadores, fermento e bebida alcóolica.

“A questão das partes íntimas é muito frequente, além de fundos falsos de vasilhas. Por isso a gente pede para trazerem alimentos ou utensílios em recipientes transparentes”, afirmou.

“Já teve caso de sandálias, sapatos, em que retiraram as solas para esconder drogas, chip. Até mesmo na própria costura da roupa já pegamos”, completou.

Todas as unidades prisionais de Goiás contam com vídeo monitoramento, no entanto, só as maiores possuem detectores de metais, raio X e cabines com sistema conhecido como Body Scan, que mapeia o corpo do visitante sem ser necessária a revista. Onde não existem estes equipamentos, os visitantes são submetidos à tradicional revista corporal.mulher de um detento que cumpre pena por tráfico de drogas, para ingressar com os entorpecentes. Para isso, ganharia R$ 200.....
Voltar


Tenha você também a sua rádio