Menu


VITÓRIA 87FM

Após tentativa de fuga em centro de internação, menor tenta matar colega de alojamento, diz servidor...

10 JAN 2018
10 de Janeiro de 2018
Interno tentou enforcar vítima com toalha e a agrediu com chutes, em Goiânia. Administração do local alegou que situação foi briga 'nada diferente do que ocorre esporadicamente'.m adolescente tentou matar colega de alojamento no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Goiânia, nesta quarta-feira (10), segundo diretor de Segurança do Sindicato dos Servidores do Sistema Socioeducativo Valmir Ferreira da Silva. A tentativa de homicídio ocorreu após uma vistoria na unidade, que é a mesma em que houve tentativa de fuga na noite de terça-feira (9).

“Chegou informação agora de que houve uma tentativa de homicídio no mesmo espaço que tentaram uma fuga. Um adolescente tentou matar o outro dentro do mesmo alojamento enforcando, com chutes, pisoteando, pulou em cima dele. Ele [a vítima] está todo espancado lá dentro”, disse Valmir em entrevista à TV Anhanguera.

Já a diretora do Grupo Executivo de Apoio a Crianças e Adolescentes (Gecria), Luzia Dora Juliano Silva, declarou que a situação entre os internos foi uma briga. Segundo ela, a atitude não tem qualquer relação com a revista que havia ocorrido momentos antes ou com a tentativa de fuga da noite anterior.

“Foi uma ocorrência nada diferente do que acontece esporadicamente. O adolescente foi atendido pela própria enfermeira da unidade e não houve nem mesmo necessidade de chamar por socorro ou leva-lo a algum hospital. Está apenas machucado”, afirmou em entrevista ao G1.

Ainda segundo a diretora, uma vistoria foi feita na unidade. Na ocasião, foram encontrados seis facas artesanais, feitas com objetos improvisados. Ela acrescentou que a inspeção é uma medida que ocorre de maneira rotineira na unidade e também não tem ligação com a tentativa de fuga que ocorreu no local na noite de terça-feira (9).

“A revista ocorreu normalmente. Nessas ocasiões, a Polícia Militar assiste a revista, mas quem faz é o agente ou educador social. O que foi encontrado é o que normalmente se recolhe semanal ou quinzenalmente”, comentou.

Luzia Dora ressaltou que a unidade não está superlotada. O Case, conforme ela, tem capacidade para abrigar 151 internos e está com 135 menores abrigados no local, após a fuga de 11 na noite de segunda-feira Inspeção e fugas
O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) havia agendado uma vistoria no Case da capital para esta quarta-feira por causa da fuga de onze adolescentes. O órgão ressaltou que faz visitas ao centro de internação a cada dois meses para verificar a situação dos menores apreendidos. Porém, por razões de segurança e para não atrapalhar o trabalho dos servidores que atuam no local, adiou a inspeção.

Os onze internos estão foragidos desde que conseguiram escpar do Case na noite de segunda-feira. O grupo rendeu e até agrediu servidores da unidade, que fica no Conjunto Vera Cruz I.

Internos usaram pedaços de ferro para agredir educadores e fugir. Além das barras de ferro, os servidores encontraram uma corda feita com pedaços de pano, para facilitar a ação.

Semanas de fugas
Nas duas primeiras semanas do ano, fugas e três rebeliões foram registradas também no Sistema Prisional de Goiás. No dia 1º de janeiro, uma rebelião na Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia deixou nove detentos mortos, 14 feridos e mais de 200 conseguiram foragidos. Na quinta-feira (4), um segundo motim terminou com uma fuga. Até a tarde de segunda-feira, 75 presos continuavam foragidos.

Em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, 11 presos fugiram. A fuga deles foi gravada por colegas de celas. Segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o preso responsável pela limpeza do corredor e fornecimento de alimento serrou os cadeados de uma cela e da grade de contenção do pavilhão. Entre os que escaparam, um foi recapturado.
....
Voltar


Tenha também o seu site. É grátis!