Menu


VITÓRIA 87FM

Prefeitura e Secima discutem Mobilidade Urbana em Aparecida....

07 DEZ 2017
07 de Dezembro de 2017
O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, participou na manhã desta quinta-feira, 07, da 3ª Reunião Temática do Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Goiânia (PDI-RMG), promovida pela Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos do Estado de Goiás (Secima). O encontro aconteceu no Auditório do Aparecida Prev, no setor Célia Maria. Representantes do poder público, técnicos da UFG e comunidade discutiram propostas e políticas públicas que favoreçam os transportes individuais e coletivos na Região Metropolitana de Goiânia.

De acordo com o Superintendente Executivo da Secima, Marcelo Safadi, já foram realizadas 19 oficinas como essa em outros municípios. “Cada município procura agir de sua maneira. A tendência, se não trabalharmos em conjunto, é a não atendimento às determinações da Lei Federal de Mobilidade. E para reverter essa situação, foi elaborado o Plano de Desenvolvimento para identificar as necessidades, encontrar as soluções e buscar a concretização das melhorias. Hoje o debate deverá trazer os principais problemas enfrentados na mobilidade urbana da Região Metropolitana e elaboração das propostas. Trouxemos especialistas para debateram sobre o assunto, a discussão é longa e não delicada, mas quando se agrupa ideias se obtém um melhor resultado. A tendência do cenário atual é de aprofundar a desarticulação municipal, desatualização e defasagem na mobilidade” – salientou o superintendente.

De acordo com Safadi, o objetivo do debate em Aparecida é que o município é um dos que mais possuem problemas no transporte e mobilidade em decorrência a sua grande expansão acelerada. Para ele, parte do desenvolvimento viário de Goiânia depende do sistema viário de Aparecida e de uma mobilidade com qualidade. “Os próprios índices de desenvolvimento da cidade, a particularidade em sua forma de gestão e os projetos que estão no radar da Prefeitura são motivos suficientes para a Secima implementar o Plano com soluções inovadoras acompanhando esse linear de crescimento de Aparecida. Além da cidade ter sido o fator motivador do surgimento da Região Metropolitana e o seu Prefeito ter forte influência no setor, como presidente do Conselho Deliberativo do Transporte Coletivo (CDTC) – completou.

Na ocasião, a arquiteta especialista em Mobilidade e Transporte Urbano, Érica Cristine Kneib, apresentou algumas propostas para melhorias no transporte urbano. “Para o Transporte Coletivo o cenário desejado é a valorização pela sociedade, com infraestrutura adequada e com investimento público que permite a melhoria da qualidade do transporte e uma tarifa acessível ao usuário. Para o Transporte Individual Motorizado, o cenário desejado é um trânsito bem planejado e gerido de forma articulada, com infraestrutura viária adequada e com fiscalização efetiva, visando a segurança e redução da acidentalidade. Em um cenário geral, precisa-se de uma Região Metropolitana equilibrada e conectada, baseada em princípios de sustentabilidade, com desenvolvimento orientado ao transporte público coletivo de qualidade, a partir da priorização dos modos” – explicou a especialista.

Durante a reunião o prefeito Gustavo Mendanha destacou a importância do Plano de Desenvolvimento da Secima para Região Metropolitana e apresentou aos especialistas o Plano Diretor de Aparecida. “O novo Plano Diretor de Aparecida de Goiânia, desenvolvido em parceria com o Governo Estadual, projeta a cidade para os próximos dez anos e contou com a participação de toda a sociedade em sua elaboração. Agora, ele passa a ser aplicado pela minha equipe, em minha gestão. Durante o processo de elaboração, a cidade foi totalmente repensada, com diversas alterações na legislação, justamente para pensar o desenvolvimento futuro de Aparecida, o fortalecimento de sua economia, a continuidade de seu projeto de mobilidade. Então o desenvolvimento tem que ser estratégico e pensado e isso que está sendo feito” – frisou o prefeito.

Ao final das cinco reuniões temáticas propostas sobre temas como o Meio ambiente, Desenvolvimento Urbano, Mobilidade Urbana , Desenvolvimento Socioeconômico e Gestão e Governança será elaborada uma agenda pontual a ser cumprida por todos os parceiros como governo, prefeituras, UFG, entidades e demais atores envolvidos na elaboração do Plano com sugestões e soluções para todos os gargalos da RMG com foco na melhoria da governança e da qualidade de vida dos cidadãos metropolitanos. A primeira fase do processo de elaboração do Plano consistiu no levantamento do diagnóstico da RMG. As próximas fases consistem na realização da segunda audiência para se discutir a metodologia, forma e diretrizes do Plano e a terceira audiência será discutido o texto da Lei a ser encaminhado e votado na Assembleia.

Voltar


Tenha você também a sua rádio