Menu


VITÓRIA 87FM

Prefeitura de Goiânia começa a monitorar ambulâncias do Samu em tempo realIdeia é controlar gasto de combustível, tornar atendimento mais rápido e propor melhorias para problemas detectados....

10 AGO 2017
10 de Agosto de 2017
A Prefeitura de Goiânia começou a monitorar a partir desta quinta-feira (10), em tempo real, as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que circulam na capital. A análise será feita via satélite. A partir de agora, a direção do órgão poderá acompanhar o trajeto e o tempo que os veículos ficam nas ocorrências.

Segundo o gestor administrativo do Samu, Wilson Rodrigues de Oliveira, o serviço conta atualmente com 41 veículos, sendo 18 que prestam atendimento básico, cinco que fazem o socorro avançado e mais 18 usadas para transporte sanitário (que fazem o transporte de pacientes em estado regular entre unidades de saúde).

Destas, revela ele, 30 já estão com o serviço instalado. O restante deve estar com o sistema montado até sexta-feira (11). O gestor explica que o modelo vai colaborar muito para a otimização do atendimento.

"Com esse sistema nós vamos conseguir ter acesso ao consumo de combustível, ao trajeto percorrido e qual viatura está mais próxima do local da ocorrência, além do tempo de cada atendimento realizado", disse ao G1.

Oliveira pontuou ainda que a ideia foi colocada em prática baseada em três pontos principais:

    Ter indícios para analisar possíveis falhas e propor melhorias
    Questão econômica em relação ao consumo de combustível
    Tempo de acionamento da ambulância
Central...

Ao todo, o monitoramento será feito por meio de quatro computadores: dois instalados na central do Samu, uma no Centro Integrado de Controle e Comando (CICC), localizado na Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) e a última ainda a ser decidida - na sala da secretária municipal de saúde ou do superintendente da pasta.

Somente que fica no CICC irá ser monitorada 24h. As outras somente no período de expediente administrativo ou em casos especiais que demandarem essa necessidade.

Omissão

O gestor disse que o procedimento não tem relação à situação em que uma unidade do Samu é investigada por omissão de socorro na morte de um paciente. No último dia 30 de julho, um vídeo mostra quando a ambulância chega para atender o pedreiro Lindomar Alves dos Santos, de 36 anos, que passava mal devido à diabetes (assista acima).

Porém, um dos socorristas desce do veículo e logo volta sem se aproximar da vítima, que morreu três dias depois. Uma sindicância foi aberta e os servidores envolvidos afastados do serviço de atendimento nas ruas.

"A ideia de colocar o sistema é bem anterior a isso, mas ele também vai nos ajudar a investigar o que acontece em cada ocorrência e tomar as providências que cada caso merece", explica.

                            
Voltar


Tenha você também a sua rádio